Tudo o que 2013 (não) foi.

Do latim: tudo o que eu deixei de fazer por pura preguiça/mau humor/falta de vergonha na cara.

Enquanto metade desse universo se desespera com as compras para o natal, ano novo, amigo secreto ou passagens de viagem eu me desespero por perceber que faltam menos de dez dias para o ano acabar e que não fiz muita coisa nele (talvez eu na verdade não tenha feito nada a minha vida inteira, mas me deixem achar que foi só esse ano pois assim me sinto melhor).

Eu não consigo ser uma pessoa equilibrada o suficiente pra sair rindo para os quatro ventos e postando frases no Facebook que só mostram para as pessoas como eu estou bem, pelo contrário, tenho mania de ser transparente, mostro tudo que penso com um olhar, com um gesto, não consigo me esconder em uma fachada superficial, se sou transparente, não tento colorir o que não possui cor e 2013 foi literalmente essa revistinha de colorir que toda vez que eu tentava pintar uma página a ponta do lápis quebrava e o apontador não era bom o suficiente para que eu continuasse com o processo, então eu desistia.

E esses dias me peguei pensando, foi 2013 um ano ruim ou o problema é comigo? Será que na verdade eu fiquei minha vida toda tentando colorir um desenho que nunca existiu? E depois de noites pensando nisso eu percebi que não, o problema não é comigo, o problema realmente foi com o ano, aconteceu muita coisa ao mesmo tempo, muitas mudanças, muitas perdas, muitas descobertas, e a maioria delas não foram assim tão boas, o que fez com que eu me afastasse, me levou pra um mundo paralelo e eu fiquei ali, com a chave na mão mas sem querer abrir a porta, porque talvez ao abrir a porta ela seria na verdade a porta de um armário de bagunças, onde tudo despencaria em cima de mim.

É claro que eu não vou bancar a revoltadinha e dizer que foi completamente uma merda, sei reconhecer as coisas boas que me aconteceram. Conheci muita gente nova, consegui meu próprio emprego - bufunfa, dinheiro, propina, money, oncinha - aprendi a dar valor pra muita coisa, conquistei mais liberdade, percebi que há amigos e "amigos", dormi, comi, percebi que perdia meu tempo com coisas que só me destruíam e as abandonei e consigo reconhecer que foi melhor assim, dói muito no inicio mas depois de um tempo você vê que na verdade não era essencial. E com isso eu descobri exatamente o essencial: cada coisa no seu tempo.
A calma resulta na paz, na alegria da conquista merecida. E essa última frase pareceu uma citação bíblica o que me mostra que é hora de parar por aqui.

2013 não foi como eu pensava, foi pior sim, mas me fez crescer muito mais do que eu cresceria se ele tivesse sido do jeito que eu queria, eu amadureci de um jeito que talvez se nada disso tivesse acontecido eu teria demorado uns seis anos para amadurecer, e é por isso que de certo modo fico feliz com tudo o que aconteceu.

Nunca pensei que iria dizer isso em um fim de ano, pelo clichê da frase, mas eu realmente espero que o próximo ano seja bom, não como eu gostaria que fosse, mas como tudo deve ser.

5 comentários:

  1. SUA LINDINHA, vc é tão eu quando adolescente HAHAHA vem cá com a titia *abraça*
    Olha só, eu costumava postar exatamente esse tipo de coisa no meu blog quando tinha a sua idade. Na adolescência a gente não tem mesmo muita perspectiva, mas olha que legal: você já tem um emprego e eu não: resumindo você tá melhor que muita gente.
    Que o ano que vem seja do jeitinho que você sonhar <3
    http://www.canseidesernerd.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pude sentir você apertando minhas bochechas com esse comentário.. haha

      Excluir
  2. As vezes a gente acha que o ano foi uma merda, que nem eu pensava, porue aconteceram mil e uma mudanças chatas e que se tornaram legais! Fiz um monte de amigos, li mais livros, vi mais filmes e cantei e sorri muito mais! Ou seja, posso ter pensado que foi uma porcaria mas foi bom... enfim.
    Chega fim de ano e a gente começa a falar todas essas coisas clichês e "tomaraqueopróximoanosejabom" mas né, é a vida, e não dá pra gente não ser assim!
    ~boiei nesse comentário, mas ok~
    Bjx, http://virgulaassassina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não sou como você, do tipo que procura uma lição no que aconteceu. Sou do tipo que fica revoltadinho mesmo. E 2013 foi mesmo uma merda. Não uma merda completa, lógico, é um ano inteiro, é claro que houveram coisas boas - mas eu realmente espero um 2014 melhor.
    Talvez seja uma esperança falsa, até infantil, mas isso é mais uma coisa que temos em comum: a transparência me impede de passar a vida fingindo que está tudo bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, essa minha mania de tentar tirar lição de tudo que me acontece é só uma maneira de eu me sentir melhor com a bosta toda... Mas não sei se funciona muito, porque fora daqui tudo muda.
      E acho que a transparência é ótima, elimina a falsidade tanto de si mesmo quanto do seu redor... Tão mais prático viver assim.

      Excluir

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3