Só acontece comigo #19

Estou eu na fila da Saraiva, quando resolvo brincar com a pessoa que me acompanhava e pego uma revista adolescente da prateleira para ler o horóscopo.

No fim da mesma, para cada signo havia uma palavra que seria a "chave" do mês, procurei por Touro e falei em voz alta:

- A palavra do mês é paciência. - eu e minha amiga rimos porque PACIÊNCIA né meus amigos, paciência.

O senhor a minha frente se vira rindo e diz:

- Pedir pra Touro ter paciência é complicado! Você é de que dia?
- Dia onze, e o senhor?
- Dia oito.
- Ah, pouca diferença!
- É sim!

No momento minha cara já era essa.
Se o assunto tivesse parado por ai tudo bem, teria sido só mais uma conversa de fila, mas nããão. O mesmo senhor estava acompanhado de uma pequena pessoa, por volta dos seus 10 anos, que deveria ser seu neto, filho ou quem sabe a criança que ele raptou ali na esquina e estava comprando filmes para disfarçar. A mesma criança ao perceber que seu possível avô possui o direito de conversar com desconhecidos na fila decide que aquele era um ótimo momento para puxar assunto comigo. Eu, a menina do signo de Touro, que precisava de mais paciência segundo a revista teen.

- Olha, você já assistiu esse filme? - me mostra um DVD que tinha em mãos, não me atentei ao nome do filme porque minha mente começou a querer sair correndo dali.
- Hmmmm não. É legal?
- Não sei, vou assistir hoje. Dez reais, barato né?
- Uhum, espero que seja legal.
- É eu também. Olha! - puxa um colar com a mão, quase colocando o pescoço no meu rosto (pescoço dele, só pra deixar claro) - Você já assistiu Naruto? Esse colar é do Naruto, você já assistiu? Foi só dez reais também, o mesmo preço do DVD, comprei lá em São Paulo, você já assistiu Naruto?
- Já, já assisti Naruto. - tive que me segurar pra não repetir Naruto a mesma quantidade de vezes - Barato né?
- BARATO? - o senhor, possível sequestrador da criança, arregalou seus olhos e eu tive a impressão de que seu bigode aumentou de tamanho ao mesmo tempo - Dez reais um colar, eu vou a falência.

Dica do dia: paciência amigos, paciência.

Popcorn: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho.



Ficha Técnica.
Lançamento: 10 de Abril de 2014.
Duração: 1h 36 min.
Gênero: Drama, Romance.
Classificação etária: 12 anos. 




Hoje Eu Quero Voltar Sozinho pode ser considerado um filme difícil. Primeiro, por ser nacional, já que infelizmente a maioria dos brasileiros acredita que apenas a cultura internacional é boa. Segundo, é um filme mais voltado ao público adolescente pelo enredo que possui o que nos leva novamente ao primeiro item, já que a maioria do público adolescente só consegue dar valor a filmes internacionais. Terceiro, o filme mostra a homossexualidade, de uma forma muito bonita, sem apelações, mas em país de Feliciano até beijo gay em novela se transforma em protesto para o “orgulho hétero”. E o melhor disso, é que mesmo com todos os motivos para ser um filme rejeitado, o mesmo conseguiu atenção internacional também.

A trama conta a história de Léo, um menino cego, filho único e extremamente protegido pelos pais. Com a ajuda de sua melhor amiga Gi, Léo consegue fazer suas lições no colégio, andar pelo mesmo e mostra que a deficiência visual não é motivo para se trancar em casa e alegar ser incapaz.

O filme realmente começa quando Gabriel, o aluno novo, chega à mesma sala que Léo e Gi, tornando-se amigo de ambos. Por ser cego, Léo sofre bullying de outros colegas de classe, e Gabriel tenta sempre ajudar o mesmo com isso. A história muda, quando os dois começam a passar muito tempo juntos, levando Gi a se afastar por ciúmes e por acreditar que Léo a trocou pelo aluno novo. Mas ela não sabe de um pequeno detalhe: Léo está apaixonado por Gabriel.

A dúvida que surge é: Gabriel também estaria apaixonado por Léo?
Apesar de um ótimo enredo, eu particularmente esperava um pouco mais da longa. Achei que seria uma história mais sentimental - Cícero na trilha sonora foi o que me fez pensar isso - mas fui surpreendida ao perceber que é um filme com um romance/drama muito leve.

Justamente por ter achado o mesmo um pouco parado, a nota final será de quatro "cactos".


Casamento nas estrelas.


Casamentos são em sua grande maioria iguais. Flores pra lá, flores pra cá. Comida pra lá, comida pra cá. Mas já imaginou um casamento com algum tema diferente? É claro que já! A internet mostrou ao mundo todo a febre dos casamentos diferentes, onde os noivos faziam coreografias novas ou até saiam do comum "noiva veste branco". Mas e um casamento com o tema Star Wars, você já foi? Jenniffer e Joshua resolveram celebrar sua união dessa forma! Com direito a damas de honra inspiradas na princesa Leia e o pai da noiva como Darth Vader durante a dança. 




 Créditos.

O Escolhido | Editora Record.



Ficha Técnica.

Autor: Sam Bourne.
Páginas: 448
Editora: Record.






Embora o livro O Escolhido do jornalista inglês Sam Bourne (o mesmo de O Código dos Justos) ser classificado como romance de acordo com determinadas livrarias, posso garantir que o maior romance presente no mesmo é o amor da personagem principal Meggie Costello por seu trabalho.

O inicio, meio e fim de tudo está completamente centralizado na Casa Branca, quando um novo presidente é eleito, sendo o queridinho durante as eleições, assim como foi com o atual presidente americano, Barack Obama. Apesar da comparação, a ficção está longe de ser considerada uma vitória.

Stephen Baker promete a todos antes, durante e quem sabe depois de sua candidatura que será diferente de seus antepassados, começando pela sua promessa de acabar com as guerras nos países em situações críticas, considerados "inimigos" dos Estados Unidos da América desde os primórdios da Terra. Sendo essa sua promessa o principal motivo para Stephan conseguir conquistar não só seus eleitores como também Meggie, formada em Relações Internacionais e decidida a sempre ajudar ao próximo.

O ponto interessante surge pouco tempo após o mesmo tomar posse da presidência, quando para a alegria da mídia diversas histórias envolvendo o passado de Baker começam a surgir. Maggie que no momento de tais acontecimentos está em um lamentável fracasso pessoal - com direito a perder seu emprego na Casa Branca por se referir a um colega de trabalho de uma forma ruim em um e-mail e a perder o namorado por se dedicar demais ao emprego que não possui mais - sendo uma das pessoas de mais confiança do presidente, visto que o acompanhou durante toda a candidatura ajudando a fazer discursos e a conquistar seu público é convidada a ajudar a Casa Branca a descobrir quem é o responsável por todas as barbaridades que começam a sair nos jornais nacionais e internacionais, indo atrás de pistas, viajando para outros estados e até se disfarçando para chegar perto de pessoas que podem ter a resposta para as dores de cabeça do presidente.

O motivo para ler o mesmo vem justamente de todos esses mistérios. Conforme acontecem os assassinatos e todas as revelações sobre a vida do atual presidente sendo elas falsas ou não, o leitor se vê não só defendendo o mesmo como chega a questionar quem ele realmente é.

Dependendo da visão que cada um possui ao ler um livro, a história também consegue mostrar como o ódio que um ser humano possui pelo outro pode ser destruidor não só para quem o sente, mas também para a vítima.

Apesar de ter material e conteúdo maravilhosos, o livro não chega a ser excelente pelo seu fim onde se tem a sensação de que o autor preferiu não nos deixar saber de alguns detalhes, como se já fosse muita informação. Se não fosse esse pequeno detalhe, o livro teria uma classificação cinco "cactos" sem dúvida alguma.


Obs: há um mês atrás o mesmo passou de R$ 52,90 para R$ 10,90 nas livrarias Saraiva.