Dear Joey Tribbiani.

A Blogagem Coletiva do mês de Maio, após o consenso entre as bruxas blogueiras teve seu tema escolhido. O post deveria ser uma carta para seu personagem favorito, foi uma tarefa difícil escolher apenas um(a) para alguém que diariamente nomeia um novo crush, mas resolvi escolher Joey Tribbiani da série Friends.

Querido Joey,
How you doin? Inúmeras foram ás vezes em que sonhei poder dividir um pedaço de pizza com você. Um sonho sempre muito triste, distante, afinal um bom Tribbiani nunca divide seu alimento, mas eu achava que isso poderia mudar ao me conhecer, acreditava que eu seria a sua única exceção.
Os episódios foram passando e apesar de a série já ter chegado ao fim quando comecei a acompanha-la, a chama da esperança se mantinha acessa, até que um dia, desperta dessa onda de otimismo, eu entendi: você era o meu preferido, mas eu te trocaria por um prato de macarrão sem pensar duas vezes.
Eu espero que você entenda que comida é necessário, mas que você precisa parar de se importar mais com ela do que com seus próprios amigos, assim como espero que aprenda a valorizar as mulheres que aparecem na sua vida e que consiga se lembrar dos seus nomes no dia seguinte, sem me esquecer claro dos seus trabalhos como ator, tenho certeza que um dia sua carreira dará certo.
Sem mais, preciso atender o entregador de pizza que acaba de chegar.
Com carinho, Tatiane.

Só Acontece Comigo #22


Aniversários costumam em geral serem datas especiais para indivíduos humanos. Por estar em um Só Acontece Comigo, vocês já sabem que nem no que deveria ser o meu dia especial, eu escapo do desastre.
11 de Maio de 2015, ah os 18 anos! Nada muda. E digo mais: nada nunca vai mudar além dos gastos futuros com Renew. 
Fazer aniversário em plena segunda é essa desgraceira, sabe? Você precisa trabalhar, precisa estudar, e acaba tendo um dia comum. Até que um amigo tentando demonstrar o mínimo de afeto te presenteia com um bolo.
E lá vem a merda!
Não eu não levei um bolo no meu rosto. Mas eu preferia!
Como pessoa bem educada, fui tentar impedir a compra do mesmo segurando o braço do caro companheiro. O caro companheiro continuou andando. O braço do caro companheiro que eu não estava segurando balançou mais do que deveria. O cotovelo do caro companheiro foi parar no meu olho. O meu olho estava protegido por um óculos. O óculos não protegeu nada. A armação afundou no meu olho. Eu não consigo nem piscar.
Encerro o post assim, nesse desânimo. Entreguei nas mãos de Deus já. 

Blogagem Coletiva: 13 Medos.



Vai ter postagem coletiva de Abril sendo postada em Maio sim!
Se reclamar atraso por mais dois meses.
E o tema do feitiço desse mês, ou do mês passado, são os 13 maiores medos de infância das bruxas blogueiras.


13. Escuro.

Toda criança que se preze tem medo do escuro e eu obviamente me prezava, meus primeiros sinais de ansiedade inclusive surgiram justamente quando fui deixada pela primeira vez em um quarto sem abajur.

12. Loira do banheiro.
Na minha escola era muito comum todas as crianças menores terem pânico de irem sozinhas até o banheiro, pra não correr o risco íamos de mãos dadas até o mesmo e um segurava a porta enquanto o outro usava. A escola dava aula desde a creche até a quarta série do ensino fundamental. Ah, a quarta série! Enquanto eu ia com minha ingenuidade fazer um xixi amigo, os mais velhos aproveitavam pra dar gritos no banheiro, apertar as descargas e abrir as torneiras. Até que um dia fiquei com muito medo e não consegui esperar chegar o momento de abaixar as calças (não sabia se chorava pela calcinha molhada ou pelo medo).

11.Amigos dos meus pais.
Eles apertavam minhas bochechas, isso justifica tudo.

10. Cachorros.
"Olha que bonitinho aquele cachorrinho mãe! Coisinha mais fofAI MEU DEUS ELE LATE!"

09. Murta que geme.


A triste história de uma geração que foi criada com os filmes do Harry Potter.



08. Música do Globo Repórter.

Me deixa com mal estar até hoje.

07. Plantão da Globo.
Depois da queda das Torres Gêmeas (eu achei que era um filme passando) a vida nunca mais foi a mesma.

06. Caixas de música com bailarinas.
Eu achava SI NIS TRO ver aquela coisa rodando com músicas calmas, queria sair correndo.

05.O Rei Leão.
Na verdade eu tinha medo dessa cena:


04. Ser esquecida no mercado.
Uma vez meus pais aproveitaram que eu me distraí com revistas infantis e se esconderam.
Eu corri até a saída do mercado chorando como qualquer criança sensata faria.

03. A boneca da Eliana.
Gente essa coisa era feia demais.

02. Árvore falante.
Em São Paulo antigamente havia a Casa dos Sonhos, da fábrica de brinquedos Estrela. Logo na entrada, os visitantes eram recebidos por uma árvore falante. Se vocês vissem minha cara na foto, entenderiam o medo.

01. Meu pai.
Ás vezes ainda tenho algumas recaídas.