Ómice | Só acontece comigo #27




Ómice: atos feitos por ómis.

Ómis: raça conhecida por fazer ómices.

Sim, eu sei que a maneira certa de escrever é homem, com h e sem acento, não, eu não vou escrever da maneira certa porque eu não sou obrigada a nada, a nada.

Sempre tem aquele dia da semana em que paramos nossas obrigações rotineiras pra resolver problemas. Nossos amigos, vizinhos e pessoas próximas nos encontram nas ruas da vida e perguntam banhados em uma onda de carisma se estamos indo trabalhar e respondemos sempre com o mesmo sorriso amarelo que não, na verdade estou indo resolver umas pendências, qualquer coisa deixe recado após o sinal. 
Era um desses dias, ás três da tarde eu já tinha terminado de resolver minha c o i s a s e depois de um longo dia sem direito a pausa pro almoço finalmente sentei em um ponto de ônibus com minha mãe e ficamos ali, ansiosas para a nossa tão esperada chegada em casa. Nesse mesmo momento havia um carro, e atrás um ônibus, o meu ônibus. Que alegria, amigos, que alegria!
Diante de toda a felicidade em forma de rodas nos apressamos em dar sinal para o ônibus, aquela famosa esticada de braço que nos deixa em dúvida se o motorista consegue ou não nos enxergar. O motorista não só enxergou como também parou, o real problema foi o bendito carro da frente, que também viu e achou de bom grado rir e buzinar como se o sinal tivesse sido pra ele.

ALERTA VERMELHO, ALERTA VERMELHO, ÓMI FAZENDO ÓMICES.

Senta aqui, vamos conversar: ninguém tá nem ai, ninguém ficou louca por você, um sorriso não quer dizer nada e ás vezes as pessoas se olham sem querer porque nossos olhos estão aqui justamente para isso e se eu estiver em um ponto de ônibus dando um sinal que indica que há um ônibus vindo em minha direção, significa que quero pegá-lo, principalmente se você estiver passando no mesmo tempo que ele, porque eu realmente não tenho o mínimo interesse em ficar numa rua vazia com alguém que não sabe diferenciar um bom dia amigável de um olá, prazer, a noite, hum, é nossa.



Esse post é dedicado aos ómis tudo.

Só acontece comigo #26



Foi difícil me controlar pra não postar três Só Acontece Comigo um atrás do outro? Foi, mas superei, porque alguma coisa nessa vida eu tenho que ter controle. Enquanto escrevia o Só Acontece Comigo #25 na semana retrasada (ou antes, não sei, sou de preguiças), acabei sendo surpreendida pela correção nada correta do Google Chrome, acompanhem as imagens. 










O que o Eminem anda fazendo as 16:20min eu não sei, mas pelo visto o Google anda espionando um certo rapper famoso. Alô, revista Caras, olha uma matéria nova aqui esperando alguém que a encontre.

TAG: Se eu fosse você.



A Brendha, do Palavras Alienadas, arrasou a blogosfera essa semana e criou uma tag (meme?) chamada "Se eu fosse você." As ordens são basicamente produzir um texto com a mesma escrita de um escritor ou blogueira que você admira, é difícil mas não é impossível. Escolhi o escritor Sam Bourne, do livro O Escolhido (já teve resenha aqui no blog).

Apesar da confusão do local, Stella percebeu um homem movimentando-se em sua frente, estava com duas garrafas nas mãos, fazendo movimentos que pareciam ser um tipo de malabarismo. Quando o notou a encarando, tentou disfarçar olhando para os lados. 

- Vai querer mais alguma coisa, anjo? Se eu fosse você daria uma paradinha... – ele se aproximou de Stella, encostando-se no balcão - Beber não vai te ajudar, pode até te deixar feliz agora, mas depois que você estiver em sã consciência o peso dará suas caras, mas como eu ganho pra manter a bebida das pessoas em dia, não tenho moral nenhuma pra te impedir de tomar seu décimo copo.

Ela ainda não havia reparado, mas do outro lado do bar, a observavam. 

Tá curto? Tá sim, mas pra quem está há anos sem fazer um conto ou qualquer narração com diálogo isso é muito, perdi a prática. Tá uma bosta? Também, mas relevamos. Senti dificuldade porque na minha época de fanfic, tinha costume de usar o narrador em primeira pessoa, já nos livros do Sam Bourne é mais usado em terceira pessoa, que agonia escrever desse jeito.
Sem mais delongas, os blogs que eu indico são: Burlesque Suicide, Me Paga uma Coca?, MilargaTetas Trash e Wink. Se alguém se interessar e não estiver nos indicados, sinta-se à vontade para fazer.

Meio termo.

"Ah! Mas que sujeito chato sou eu, que não acha nada engraçado. Macaco, praia, carro, jornal, tobogã, eu acho tudo isso um saco."

Há todo um orgulho em ser pessimista, você crê que isso te protege, e até que está um pouco melhor que os outros por não ser tão iludida como eles, acha que ver a vida de um jeito alegre é ilusão. Mal sabia que na verdade, já estava iludida.

Acreditar que sempre está tudo ruim difere completamente de querer melhorar e crescer cada vez mais. Sempre vai melhorar, a vida é isso, uma melhora atrás da outra com vários momentos ruins no caminho, mas que vão construir sua história e te mostrar o que você realmente quer ser, o que não quer ser, o que quer e não quer ter, quem quer conhecer melhor, quem quer manter por perto e quem precisa manter longe. Quanto tempo passamos mandando tudo para o inferno e exclamando com convicção que as coisas só dão errado? Como se ter problemas e cometer erros só acontecesse conosco. Não precisa abaixar a cabeça com vergonha, nem dar esse risinho disfarçado, olha pra mim e escuta isso: todo mundo é assim! Acredite, a maioria das pessoas está passando por coisas semelhantes, que as machucam na mesma intensidade, mas acontecem de formas diferentes com cada um, porque ninguém é igual, e você sempre soube disso, mas é tão fácil jogar a culpa nas próprias costas e dizer que tudo sempre dará errado com você, não é? Eu te entendo, mesmo. 

Conselhos nem sempre são bons, mas eu vou deixar um aqui e cabe somente a você decidir se ele te ajuda ou não. Preparada? Larga esse pessimismo, para de fazer disso um motivo para se orgulhar de si, você não precisa perder tudo por causa desse teu jeito pra só então perceber que as coisas ruins acontecem porque você mesma faz isso. Aconteceram coisas ruins? Eu sei que sim, mas você lembra de todas as coisas boas que vieram junto, não adianta tentar se enganar, não preciso cita-las, só de ler isso você lembrou de inúmeras. Não estou falando pra você acreditar que a vida é um conto de fadas, que todas as pessoas do mundo são boas e merecem sua confiança, muito menos que tudo sempre vai dar certo, só estou pedindo pra você considerar a ideia de que em algumas coisas nós ficamos melhor em cima do muro. Se der errado, você pula pra trás e encontra um caminho melhor, afinal, você sempre fez isso sem nem perceber, mas se der certo, você já está bem ali, a um passo do que é certo, do que é seu. Você achava que ser otimista era como acreditar na Terra do Nunca, mas olha só, é tão real que parece até mentira! Posso te contar mais uma coisa? Muitos problemas ainda vão aparecer, mas com essa visão nova, você vai conseguir passar por eles e encontrar coisas boas. 

Agora, você não acha que tudo sempre vai dar errado, você luta pelo que pode, abre mão quando sabe que em breve algo vai escapar e o melhor de tudo, você descobriu que o otimismo te fez achar o passado chato e por isso você correu atrás de novas coisas. E o pessimismo? Ah, ele só te fez ficar parada por muito tempo em algo cômodo, mas ainda bem que você me ouviu.

"É você olhar no espelho, se sentir um grandessíssimo idiota, saber que é humano, ridículo, limitado, que só usa dez por cento de sua cabeça animal, e você ainda acredita que é um doutor, padre ou policial que está contribuindo com sua parte para nosso belo quadro social. Eu que não me sento no trono de um apartamento, com a boca escancarada cheia de dentes, esperando a morte chegar." (Raul Seixas - Ouro de Tolo.)


1 º Esse texto foi escrito para o meu eu do passado, e foi difícil ler tudo isso...
2 º A pesquisa do IBGT teve seis votos, todos positivos. Preciso só de um tempo pra conseguir gravar algo, perder um pouco da minha timidez e encontrar alguns temas com base no que vocês pediram pelo formulário e logo, logo o canal no Youtube estará pronto.
3 º Quero agradecer pelos elogios enviados nos formulários e por todas as coisas meigas que me mandaram, eu salvei o formulário no computador pra sempre ler aquilo, algumas pessoas foram muito gentis na resposta, obrigada mesmo! Obrigada também pelos elogios ao layout, faltam algumas coisas pequenas, mas passar três semanas fazendo algo e descobrir que as pessoas gostaram é ótimo, vocês são ótimas(os)!

Um combo triplo pra viagem.



Antes de me conhecer, há algo muito importante a meu respeito que é necessário saber: eu nunca vou, nunca mesmo. De todos os meus defeitos, os que se destacam sem que eu perceba é a preguiça, a insegurança e a ansiedade, juntando os três, temos um combo de fast food, aqueles que te fazem mal, mas você não vive sem.

Já mantive uma alimentação equilibrada, fiz caminhadas e dormi oito horas por dia na intenção de ser menos preguiçosa? Já. Funcionou? Só no primeiro dia. Já tentei superar as coisas colocando a cara e a coragem? Já. Funcionou? Nunca, a insegurança me faz ser tímida desde que me declarei gente, o que faz com que um simples ato de perguntar as horas para alguém se torne um mini infarto, e a ansiedade, bom, esse é um problema que tem uma ligação além do emocional, é uma questão de saúde, então só vou vivendo, contando até dez quando tenho sensações estranhas e respirando profundamente. Esse combo triplo de fast food, me faz cotidianamente deixar de fazer coisas que quero. Combino de sair com pessoas que eu realmente gosto, mas no dia sempre penso em um jeito de escapar porque a preguiça não deixa, e vai que acontece alguma coisa ruim, né? Melhor ficar em casa.

Prevenção é um detalhe importante pra vida, muitas cacas podem deixar de acontecer graças a ela, mas quando pensamos demais em algo, paramos de fazer coisas muito simples, e isso se tornou um problema tão grande, que eu fico aqui vendo metade dos blogs que acompanho participando do BEDA (Blog Everyday August) e a única coisa que eu sei é pensar em como eu queria estar participando também, e adivinhem só por que eu não me joguei nessa maré toda de posts diários? Porque antes eu decidi passar no meu fast food mental e pedir um combo triplo.


Eu estou chateada? Bastante.
Foi melhor assim? Não sei dizer.
Os dedos até coçam pra participar mesmo atrasada? Todos os dias.
Eu vou participar? Quem sabe no ano que vem.
As condições emocionais expressas nesse blog não são recomendadas pelos especialistas. Em caso de sentimentos parecidos, procurar ajuda.

* Como eu vim a este mundo destinada a sofrer e não estou participando, vou deixar aqui os links dos blogs que estão fazendo o BEDA e que eu acompanho (em ordem alfabética pra não ter briga): Deixa Molhar; Ela, Rafaela; Me Paga Uma Coca?; Milarga; Minha Vida Como Ela É; SO CONTAGIOUS; Wink.