Hoje eu tô só o Joey fazendo trinta anos.

Uma vez a Taylor Swift nos disse que "When you're fifteen and somebody tells you they love you, you're gonna believe them." e como se não bastasse, ainda completou dizendo que "When you're fifteen feeling like
there's nothing to figure out, well count to ten, take in this is life before you know who you're gonna be." e eu apenas concordo, sabe? Quando essa Tatiane de dezenove anos pensa na de quinze e lembra do primeiro casinho mais sério que teve na vida e de como pensou que iria morrer quando não deu certo - mesmo que já estivesse óbvio há muito tempo o quanto eu só estava sendo usada naquilo tudo - acreditei fielmente que era algo recíproco, e foi exatamente nessa época que eu me tornei a adolescente horrível que não ouvia nada do que me diziam porque queridos, vejam bem, EU SEI TUDO, EU TENHO QUINZE ANOS!!! Mais tarde, menina Taylor completou seus vinte e dois e disse que se sentia "Happy, free, confused and lonely at the same time." (me pergunto se ela foi sentir isso só aos vinte e dois ou se ela só esqueceu de falar antes mesmo, porque eu me sinto assim possivelmente desde o útero). Enquanto isso, os caras do Kings of Leon também acharam razoável falar sobre uma garota de dezessete anos que se queixa sobre tudo (estaríamos todos eternamente parados nos nossos dezessete anos? Fica ai a reflexão), mas ninguém, eu disse: NINGUÉM, pensou que existem pessoas fazendo dezenove anos todos os dias e que elas podem querer uma música pra se identificar com o momento.

É eu fiz dezenove anos.
Daqui um ano é vinte.
Dos vinte para os trinta é um piscar de olhos.
Alguém me abraça?

Não venho de uma família com o costume de comemorar aniversários, e eu realmente nunca senti falta disso, me conheço e sei que como pessoa introvertida que sou odiaria ter que receber inúmeros abraços, agradecer por presentes antes mesmo de abri-los e imaginem só aonde eu colocaria minha cara durante os parabéns? Sem falar do ritual de assoprar as velas, consigo visualizar perfeitamente o momento em que eu me desequilibraria e daria de cara com o chantilly daquele bolo de padaria comprado as pressas pois isso é o máximo que quem faz aniversário em uma quarta-feira consegue. Ano passado, por exemplo, quando cheguei mais perto de ter uma comemoração, acabei ganhando uma cotovelada no olho, e por ai vai. Não comemorar meus aniversários me salvou de muitas coisas, como vocês podem notar.

Lembro de uma vez em uma das séries do Ensino Fundamental, meu subconsciente tentava me lembrar de que havia algo muito importante acontecendo naquele momento enquanto eu me perguntava o que precisava fazer naquele dia. Era meu aniversário. Eu só lembrei quando tive que escrever a data no caderno. Já passavam das dez da manhã.

A minha maior dificuldade é me ver com dezenove e sem nenhuma noção do que vai acontecer comigo daqui pra frente, mas como pessoa que já assistiu Friends demais durante a vida e viu alguns personagens não casando, outros começando a planejar seus rumos com trinta anos, e outros que mesmo com trinta ainda não sabiam o que fazer, tento mentalizar que tudo vai dar certo e que independente da idade, sempre é muito cedo pra decidir quem se quer ser.

2 comentários:

  1. Então... a) Feliz aniversário (super) atrasado... Espero que seus 19 sejam melhores que os 18... b) Olha, eu tô com 25, não tenho ideia do que eu tô fazendo com a minha vida, e pelo que meus amigos mais velhos falam, meio que é assim pra sempre, viu? Então não se preocupe que todo mundo só está tentando...E às vezes, de um jeito meio estranho, até que dá certo.

    ResponderExcluir
  2. Feliz aniversário atrasado!

    Olha, eu acho de verdade que todo mundo vive um eterno 17 anos HAHHAHA principalmente quando a gente fala de amor e coisas que deram errado porque não há nada mais igual do que sofrer de coração partido. Mas em questão de lidar com a vida é muito complicado porque ninguém quer admitir que está perdido. Pelo menos não o que a gente expõe na internet (ok, a gente expõe, mas estou dizendo as pessoas do facebook e que nos rodeiam na vida real).

    Só não precisa ter medo dos 20. Eu amo meus vinte e poucos porque sou muito mais consciente, mais durona (ainda que eu chore em banheiros públicos) e mais estável e acho que a gente não pode ter medo de envelhecer porque estamos fadados a isso. As questões continuam sendo difíceis e mirabolantes algumas vezes E SABER O QUE QUER FAZER DA VIDA é um troço aterrorizante. Não sei se é pavê ou pacumê, sabe? Então calma. A gente só precisa ter fé que as coisas caminham pra o que tem que acontecer e vai vivendo.

    beijos <3

    ResponderExcluir

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3