Tarde de domingo.

Toda vez que passo naquele paço
ouço meus próprios passos 
e sinto que por um só passo
não estou perto de voar. 

Toda vez que estou naquela rua
sinto minha carne exposta, crua, nua
e lembro de como ali não era meu lugar. 

Toda vez que me perco 
nos meus pensamentos 
vejo que o pensar é só lembrar.

E toda vez que eu penso
lembro do paço 
lembro da rua
só assim sei como 
e onde
me encontrar. 

Comentários

  1. Eu tenho uma relação confusa com poemas. Eles sempre me tocam, mas eu nunca consigo entender e explicar o contexto ou o porquê. Talvez minha alma seja mais evoluída que a minha mente, aí eu fico só sentindo e não entendendo nada.
    Mas eu senti um desconforto familiar.
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3