Só acontece comigo #28



Em tempos de Orkut, eu seria moderadora de alguma comunidade relacionada a pessoas desastradas, mas como a rede social não está mais entre nós, posto tudo aqui no blog mesmo, afinal, como costumo dizer, vai que um dia eu fico rica contando minhas vergonhas para o mundo.

Uma coisa que não me falta é cabelo, não sei se nas fotos da pra perceber a quantidade, mas é tanto cabelo que deve corresponder a 1 kg do meu peso. Além de ter uma quantidade acima da média normal, eles são cheios e ondulados, o que me levou ao uso da chapinha há 5 anos atrás (e contando).

Era um dia calmo, os pássaros cantavam em perfeita união, faltavam duas horas para que eu saísse de casa. Visando não ter que fazer tudo correndo como sempre, coloquei uma série pra assistir enquanto "alisava" (aspas, muitas aspas, não sei o que acontece que eu simplesmente não consigo mais deixar meu cabelo realmente liso, a chapinha só abaixa o volume, que na verdade é o que me incomoda mesmo) as madeixas, o que teria acontecido se não fosse um pequeno detalhe.

Ligar o notebook: confere.
Acessar o megafilmeshd e fechar todas as abas de anúncios: confere.
Colocar algum episódio de Once Upon a Time: confere.

No meio do caminho havia uma série, havia uma série no meio do caminho. O episódio foi ficando interessante, quando me dei conta tinha largado a chapinha no chão mesmo (não a deixei ligada, só esclarecendo pra caso minha mãe encontre esse blog um dia) e já haviam se passado mais de 30 minutos. Considerando que eu ainda tinha que almoçar, me arrumar, arrumar a mochila e esperar o ônibus, eu, que tentava adiantar as coisas, estava como sempre, atrasada.

Fechei a aba do episódio como quem afasta de si todo o mal do pecado e levantei da cadeira para pegar a chapinha e começar o processo. A chapinha? Estava no chão, logo abaixo do meu pé. O meu pé? Foi de encontro a chapinha. Ela estava desligada? Sim, estava. Adiantou algo? Não, não adiantou nada. 
Declaro-me oficialmente a única pessoa do mundo que consegue arrancar um considerável pedaço de pele da sola do pé pisando em uma chapinha desligada.

Eu sei, eu sei, o candidato da concorrência tem que ter um potencial enorme, é responsabilidade demais concorrer comigo para a vaga de desastrada do ano.

Comentários

  1. Nossa! Espero que seu pezinho fique ok... Mas só pra dizer, eu acho que isso foi mais ser azarada do que desastrada.

    ResponderExcluir
  2. Tati, me abraça que eu sou EXATAMENTE esse tipo de pessoa. AHAHAHA Eu tenho o cabelo liso, mas ele começa a querer ondular nas pontas, então às vezes eu sinto vontade de usar a chapinha pra fazer os cachos ficarem mais certinhos (ainda mais agora que ele tá curto, porque se não fico parecendo um ursinho, toda descabelada), mas sempre que encosto em uma é uma aventura. Queima dedo aqui, machuca a mão ali, viro contorcionista de circo pra não fazer merda e afffff, muito trabalho, melhor aceitar a derrota. ahahaha Melhoras pro seu pé!

    Beijo!!

    ResponderExcluir
  3. Calma. Terei de te desapontar, mas a pessoa mais desastrada sou eu. Talvez possamos fazer uma divisão regional - a mais desastrada do Sul, eu, que tal? Mas o fato é que: eu já me cortei no banho com shampoo. Eu caio de cadeiras estando parada. Eu caio parada, muito. Entre tantas outras coisas, hahahaha

    Mas: PESSOAS DESASTRADAS NÃO DEIXAM COISAS NO CHÃO, APRENDA, MENINA! É o conselho mais adequado que posso te dar, de verdade.

    Melhoras pra esse pé, hein. :(

    ResponderExcluir
  4. Nossa que desastre hein kkkk.

    Nao se vc lembro mas eu tinha dois blogs 'Meu amor paquistanes' e 'Lencos e aderecos'. Eu acabei fechando o blogs e agora resolvi voltar a blogar com um blog novinho que e uma mistura dos dois anteriores. Bora conhecer?

    Colorindo a vida Blog
    Fanpage

    ResponderExcluir
  5. aiai Tati, sei bem como é isso. Não a parte da chapinha, mas a parte de ser a mais desastrada do ano. Já fui e por incrível que pareça não sou mais, me curei ou algo parecido. Lembro que há 5 (?) anos atrás eu era a pessoa mais desastrada da vida, não tinha ideia de como eu conseguia fazer tudo que eu fazia, mas acontecia. lembro de uma vez que eu estava parada na frente de sala, no intervalo, e simplesmente me desequilibrei DO ABSOLUTO NADA e comecei a cair e levei comigo fileiras de carteiras. Olha, ninguém me empurrou, não tinha vento, não tinha nada, só tinha eu e meus desastres. Pois é. Essas coisas acontecem mesmo, é a vida. Melhoras pro seu pé!! beijosss

    ResponderExcluir
  6. Queria poder dizer que não ri, mas to rindo demais, desculpa hahahahahaha e só um porém: vamo ter que ver essa competição de pessoa mais desastrada do mundo aí, onde se inscreve? Tem premiação? Se tiver, o troféu já é meu porque eu sou um desastre ambulante hahaha melhoras pro seu pé!

    ResponderExcluir
  7. O.O
    kkkkkkkkkkk Mas miga!
    Cara, tu é demais. Se não fosse sua essa história eu teria lembrado de vc qd lesse em outro blog. No final, vc conseguiu chegar na hora?

    ps: Sabia q eu tentei ver OUAT e achei um SACO? Achei bobo e tosco. Melhora com o tempo? Ou se eu não gostei é pq não faz meu estilo msm?

    ResponderExcluir
  8. QUE AFLIÇÃO meu deus do céu
    machucados no pé me lembram uma vez que eu tava com aquelas pelinhas na sola, sabe? dai eu tava correndo no ape com meu irmão e ela engatou num prego que tinha no chão de madeira. ADORO

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3