18 janeiro 2019

O Menino que Desenhava Monstros | Rata de Biblioteca.


Se todo post do Projeto Rata de Biblioteca tem como objetivo desmistificar o boato que menospreza os acervos das bibliotecas públicas, um post em que falamos sobre um livro recente (foi publicado em 2016!), de uma editora que se preocupa tanto com suas edições como a Darkside Books, vai levar qualquer argumento contrário por água abaixo, não é?

O Menino que Desenhava Monstros, livro de thriller psicológico do autor Keith Donohue, trabalha o medo de uma forma diferente dos livros do mesmo gênero. Jack Peter tem apenas dez anos, mas não consegue aproveitar sua infância como seus antigos colegas de escola. Antes, quando só o diagnóstico da Síndrome de Asperger foi dado, ele ainda conseguia sair de casa e ter algum contato com o mundo exterior. No entanto, depois de um afogamento em mar aberto, Jack desenvolveu Agorafobia, e nunca mais conseguiu sair da própria casa sem se sentir fisicamente mal -- o que ocorre com certa frequência graças às suas consultas com o médico psiquiatra. 

Além dos pais, o único que ainda mantém contato com Jack se chama Nick, filho dos melhores amigos de sua mãe e seu pai, que por isso, cresceu com ele. Sendo praticamente obrigado pela mãe a lidar com as diferenças de Jack, Nick é seu servo mais fiel: se Jack Peter quer passar meses brincando só de guerra, assim será; se quiser desenhar obsessivamente, assim também será. 

Enquanto os meninos passam dias dentro de casa cercados por lápis e papel, acontecimentos estranhos começam a se tornar frequentes nas redondezas. Aparições de coiotes, de animais ditos brancos e grandes, de seres que se parecem com homens horrendos, e em todos os casos nunca há mais de uma testemunha para relatar a veracidade do ocorrido.

Paralelo às estranhas ocorrências entre as casas de veraneio locais e às brincadeiras do menino que vive recluso, seus desenhos podem conter pistas: Jack só desenha monstros, e não permite que Nick desenhe outra coisa. A mãe de Jack, mesmo pouco presente na rotina de seu filho, que passa o dia com o pai enquanto ela trabalha, parece ser a única a notar as mudanças do seu entorno e da sua criança de forma a juntá-las em uma só possibilidade, mas não chega a nenhuma conclusão a respeito das relações entre os casos.

Com a proposta de trabalhar o suspense, a fantasia e o horror em uma só narração, O Menino que Desenhava Monstros peca ao tecer demais seu enredo, tornando a leitura parada até mais da metade do livro, com a inclusão de personagens e acontecimentos que se ali não estivessem, nem fariam falta. Por esse motivo, não conseguiu ser o que eu esperava. 

Quanto a editora Darkside, só elogios: livro com capa dura, folha de guarda decorada, fita para marcar página, rabiscos que simulam os contornos feitos por Jack em alguns capítulos, e no fim do livro, páginas em branco que estimulam o leitor a desenhar suas próprias criaturas, angústias, monstros, pesadelos, lembranças e sonhos. 






:・゚✧*:・゚✧ POR QUE LER Um thriller psicológico? *:・゚✧*:・゚✧

O Menino que Desenhava Monstros é por incrível que pareça, leve. O suspense está de longe presente em todos os capítulos, mas não promove o sentimento de temor durante a leitura, que pode ser boa para quem tem interesse por temas que envolvem crianças, ou para aqueles que gostam de nuances familiares: a dificuldade na comunicação, na vivência com o outro. 

:・゚✧*:・゚✧ POR QUE não LER UM thriller psicológico? *:・゚✧*:・゚✧

Como eu disse acima, particularmente não achei a leitura agradável, mas minha não-recomendação está ligada com o estilo da escrita, e não com o gênero do livro. Em alguns capítulos nada realmente importante parece estar acontecendo, os problemas demoram para surgir ou para sumir, existem personagens que no fim, não impactam o enredo como era o esperado, e a única parte pela qual tive real interesse já se encontrava nos últimos capítulos. Pode não ser uma ótima indicação para aqueles que assim como eu, não possuem muita paciência para histórias mais demoradas. 

Não se deve de forma alguma riscar um livro de biblioteca, mas esse em especial estava com um desenho a lápis na página específica para isso, e como a dona anterior escreveu nome e classe escolar nele, imaginei que talvez o desenho tenha sido feito por ela e os bibliotecários decidiram mantê-lo ali. 




Pra quem é dos filmes: o livro vai ganhar adaptação para os cinemas, prevista para 2022, e será dirigida pelo mesmo diretor de Jogos Mortais. 
O que é Síndrome de Asperger? Considerada parte do espectro autista, é vista como leve pelo alto nível de funcionalidade dos diagnosticados. Afeta principalmente a socialização e a comunicação. Para mais informações, visite o site do doutor Drauzio Varella.
O que é Agorafobia? Psicopatologia associada à ansiedade e ao pânico. Para mais informações, visite o site do doutor Drauzio Varella.

Em um quote:

"Mesmo a ostra esconde uma pérola."




:・゚✧*:・゚✧:・゚✧*:・゚✧:・゚✧*:・゚✧:・゚✧*:・゚✧:・゚✧*:・゚✧:・゚✧*:・゚✧:・゚✧*:・゚✧:・


Ontem publiquei no Sweek Brasil, plataforma semelhante ao Wattpad, um microconto de 250 palavras. Para ler O Outro Lado do Mapa ou me seguir por lá, é só clicar na imagem abaixo.



14 janeiro 2019

Self Image 2019.


Não consigo acreditar no perdão. Somos seres com memória, e tudo o que fazemos ou nos é feito fica guardado. Não acredito no perdão, e por isso nunca o pedi, nem perdoei, mas também nunca revidei ou repassei milhares de vezes acontecimentos que já foram, apenas deixei que o tempo atribuísse a eles uma camada de poeira e nunca mais os toquei. 

Venho de uma família que raramente pede desculpas, e por isso acredito nelas. Todas as vezes em que não as ouvi senti que a ferida se tornava maior, então passei eu mesma à pedi-las Também aprendi a vê-las nos atos dos que me cercam, nas entrelinhas, nas vezes em que a palavra não é falada, mas está ali, presente. Minha família molda muito do que sou, mas decidi desculpar. 

Sempre tolerei muito, tolerei de tudo um pouco, até aprender que não preciso carregar além do meu peso. Viver é construir uma narrativa, e não é meu dever escrever histórias que não sejam minhas. No entanto, mesmo naquelas que me pertencem, a tolerância jamais deve ser forçada, e é por isso que aprendi a maneira certa de construir minha narrativa: eu a escrevo, mas também rabisco e deixo para fora dela aquilo que não vai acrescentar.

Percorri muitos caminhos diferentes ao longo dos anos e sei que todas as rotas, por mais diferentes, me trazem de volta a quem sou. Cada fragmento é parte de um todo. Olhar para cada um deles e entender minhas nuances não faz com que eu saiba sobre tudo, mas motiva a continuar conhecendo. Não é por acaso que sempre que esbarro em mim, me surpreendo. 
“Enxergar claramente a nós mesmos é projeto para uma vida inteira.”  NIX, Nathan Hill. 
A ideia do Self Image é do Eric que os publica anualmente. No blog você encontra as versões de 2014201520162017 e 2018.

09 janeiro 2019

Leituras do II semestre.2018



Para ver as leituras do primeiro semestre, clique aqui.

|Julho|

A Barraca do Beijo - Beth Reekles. Ebook comprado no Google Play Livros com os créditos do aplicativo Rewards, como ensinei aqui.

A Netflix lançou o filme homônimo ao livro, e apesar de até mesmo a adaptação já não ser grande coisa, o ebook estava bem barato na loja de livros do Google Play e eu queria lê-lo por pura nostalgia da minha adolescência -- escrevi muitas fanfics de enredo bem parecido. Não foi a melhor leitura da vida, mas deu pra terminar, e acabei achando o filme mais problemático que o livro com relação ao modo violento do personagem principal. 

Grandes Mulheres que Mudaram o Mundo - Kate Pankhurst e Flavia Yacubian. 

Ganhei esse livro na Flipop, e apesar de ser infantil, é uma das paixões da minha estante. Ele é todo ilustrado e conta de forma bem simples quem foram as mulheres abordadas nele, o que fizeram e como mudaram o mundo. Presentear uma criança com ele é acerto com toda a certeza (eu mesma não conhecia algumas mulheres citadas). 

Garota Exemplar - Gillian Flynn. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟

Assisti ao filme em 2014, quando ainda estava passando no cinema, e na época fiquei ATERRORIZADA. Assisti-lo me incentivou na época a comprar Objetos Cortantes, da mesma autora, que ainda tenho aqui em casa, e realmente gostei da escrita dela. Os anos passaram e um dia na biblioteca encontrei o Garota Exemplar. Não senti que aproveitei tanto a leitura como teria sido se não tivesse assistido ao filme primeiro, mas não nego que a escrita da Gillian é ótima. 

O Grande Gatsby - F. Scott Fitzgerald. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟

Fazia tempo que queria ler algo do Fitzgerald, e em 2018 tive coragem de tentar, começando por uma das suas mais conhecidas obras. Por ser um grande clássico americano nem sei como abordá-lo aqui da forma correta, seu propósito é mostrar e criticar a geração da época que foi escrito e o famoso american dream, o que pode assustar quem nunca teve contato com nada do escritor, mas achei uma leitura muito fácil de ser feita. 

O Cirurgião - Tess Gerritsen. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟
|Agosto|

A Teus Pés - Ana Cristina César. 

O livro nacional de poemas foi pedido como leitura obrigatória da Unicamp, e a única coisa que eu tenho a dizer é: não entendi. Eu realmente queria ter gostado, por ser de uma mulher, por ser nacional, mas não deu, achei a escrita confusa e apesar de tê-lo terminado, não senti que o aproveitei.

O Apanhador no Campo de Centeio - J. D. Salinger. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟
Já vi tanta gente o considerar um livro transformador que quando o encontrei na biblioteca tive certeza que precisava lê-lo. E não gostei. Existe toda uma celebração com ele por ter sido o primeiro livro que se preocupou em incluir a vida e as visões de um adolescente no meio literário americano, mas gente, como eu achei chato. É tudo narrado por esse garoto que saí de férias mais cedo porque levou bomba e que agora está vagando pela cidade até ter a coragem de voltar pra casa enfrentar seus pais. E a quantidade de vezes em que o personagem fala "no duro" me irritou.

O Diário da Princesa - Meg Cabot. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟
Interferências - Connie Willis. 
Ganhei esse livro da Suma em um sorteio no Wink. Desde o primeiro momento achei a capa muito bonita, e tudo só melhorou por ser uma ficção científica escrita por uma mulher (de 73 anos!!!). No livro a tecnologia já avançou além da nossa atualidade, apesar de estar em um tempo que de acordo com algumas referências da cultura pop usadas pela autora, é o mesmo que o nosso, e cirurgias cerebrais que permitem aos casais saberem exatamente o que seu parceiro sente já são possíveis. Sinto que se me aprofundar mais, acabo entregando as partes mais legais do livro, então LEIAM INTERFERÊNCIAS!!!

Clara dos Anjos - Lima Barreto. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟
Clara dos Anjos foi uma das obras pedidas pelo vestibular da UFPR, e me deixou muito nervosa. A leitura é fácil. mas existe esse personagem ODIÁVEL que é responsável por todo o enredo. É um livro sobre machismo, sobre preconceito racial e os privilégios que classes mais abastadas possuem. Uma ótima pedida pra quem busca um bom nacional. 

Relato de Um Certo Oriente - Miltom Hatoum. 
Mais um livro cobrado pela UFPR, dessa vez uma ficção nacional. Apesar de bom, é confuso e precisa ser lido com calma, ou até mais de uma vez pra quem assim preferir. Uma morte ocorre em uma família, e somos levados por diferentes narradores a cada capítulo, todos integrantes dela, ao passado e a fusão do presente pelos olhos de quem fica. Muito bem escrito.

O Pequeno Livro de Haikai do Menino Maluquinho. - Ziraldo.
Esse ebook está disponível no Google Play Livro por zero reais, e eu, que na infância amava o Menino Maluquinho, não resisti. A nostalgia que me causou foi uma das mais gostosas que já senti.

O Voto Feminino no Brasil - Teresa de Novaes.
Ebook também disponível gratuitamente no Google Play Livros, lançado pela Câmara de Brasília, mostra o sufrágio feminino no Brasil e seus influenciadores pelo mundo, além de dar destaque para as mulheres que lutaram por essa conquista.

Fiquei com um Famoso - Thalita Rebouças. 
Ebook gratuito no Google Play Livros. Gosto da escrita da Thalita, mas não sou o público alvo.

O Ódio como Política: a Reinvenção das Direitas no Brasil - Vários autores.
O ebook ficou gratuito na Amazon durante o mês das eleições presidenciais. São vários ensaios de autores diferentes cujo tema principal é o atual momento conservador da política, com alguns que achei bons e outros não, heh. 

|Setembro|

O Adulto - Gillian Flynn. Ebook comprado no Google Play Livros com os créditos do aplicativo Rewards, como ensinei aqui.

Por ter tido duas boas experiências com a escrita da Gillian, como citei ali em cima, decidi aproveitar que tinha créditos do Reward e comprei o conto O Adulto no Google Play Livros, e foi aí que me decepcionei com a autora pela primeira vez. Não digo que é ruim, mas não funcionou pra mim. 

As Valentinas - Luiza Trigo. 

Conto nacional disponível gratuitamente no Google Play Livros que despertou minha curiosidade, mas não senti que deveria ter ido atrás depois que o li. Com toda a certeza não sou o público alvo, mas não consigo recomendá-lo nem pra alguém com a idade ideal para a leitura, infelizmente. 

Eles Não Usam Black-Tie. - Gianfrancesco Guarnieri. 

Peça nacional exigida pelo vestibular da UFPR. Leitura necessária, engraçada, um dos melhores livros que já li. 

Minha Querida Sputnik - Haruki Murakami. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟

Fazia tempo que queria ler algo do Murakami, mas não sabia nem por qual livro começar. A capa desse em especial chamou minha atenção, e perdão pela expressão, mas puta que pariu, que livro! O narrador é um amigo de Sumire, apaixonado por ela desde os tempos da faculdade, mas que nunca tentou nada além da amizade com a mulher. Ela começa a trabalhar para uma outra personagem, e quando se vê apaixonada por outra mulher, não sabe muito bem como lidar com a problemática. É um livro muito profundo e que fala sobre o sentir de diversas formas diferentes, recomendadíssimo.

|Outubro|

O Que é Poder - Gerard Lebrun.

Livro de não ficção cobrado pelo vestibular da UFPR.

Resposta à Pergunta: Que é Esclarecimento? - Kant.

Livro de não ficção cobrado pelo vestibular da UFPR.

A Defesa de Sócrates - Platão. 

Livro de não ficção cobrado pelo vestibular da UFPR.

História do Cerco de Lisboa - José Saramago. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟

Leitura obrigatória pro vestibular da Unicamp. Depois que você entende o que tá acontecendo, fica bom, o único problema mesmo é com o José Saramago e seus problemas com pontuação.

Extraordinário - R. J. Palacio.

OUTRA LEITURA FOFA E GOSTOSA E LINDA.

Orgulho e Preconceito - Jane Austen. Ebook comprado no Google Play Livros com os créditos do aplicativo Rewards, como ensinei aqui.

Uma vez por ano a gente tem que se render ao Mrs. Darcy, né meninas?

Ame O Que é Seu - Emily Giffin. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟


A Casa da Praia - Beth Reekles. Ebook comprado no Google Play Livros com os créditos do aplicativo Rewards, como ensinei aqui.

Não basta eu ler A Barraca do Beijo, também queria saber o que acontecia na casa da praia deles. 

A Noiva da Caveira - Elphinstone Dayrell.

Conto nigeriano publicado em pdf pela Editora Wish, sobre uma garota que é levada para a terra dos mortos ao desrespeitar o que pedem seus familiares. 

Um Milhão de Finais Felizes - Vitor Martins. 

OUTRA LEITURA FOFA E GOSTOSA E NACIONAL.

O Diário de Anne Frank - Anne Frank.

O tenho desde 2013 e nunca consegui terminar porque me sentia mal. Necessário, triste. 

|Novembro|


Com Amor, Simon ou Simon vs. A Agenda Homo-Sapiens - Becky Albertalli. Ebook comprado no Google Play Livros com os créditos do aplicativo Rewards, como ensinei aqui.
UMA DAS LEITURAS MAIS FOFAS E GOSTOSAS DA VIDA. 

Para Todos os Garotos que Já Amei, P. S. Ainda Amo Você e Agora e Para Sempre Lara Jean - Jenny Han.

Assim como com a Barraca do Beijo, depois do filme ser lançado pela Netflix quis ler o livro que o inspirou. É leve e despretensioso, e por isso mesmo me prendeu. Não foi por acaso que acabei lendo toda a trilogia. 

Sejamos Todos Feministas - Chimamanda Ngozi.

O ebook de Sejamos Todos Feministas estava gratuito no Google Play Livros e aproveitei a oportunidade. Não é um livro ruim, mas recomendo para quem realmente não tem nenhum conhecimento sobre o movimento e quer começar a entendê-lo. 

Mulheres, Raça e Classe - Angela Davis.

LIVRÃO cobrado pela UFPR. Não me sinto nem capaz de dizer qualquer coisa sobre. Extremamente necessário, uma das melhores leituras que já fiz.

|Dezembro| 

A Revolução dos Bichos - George Orwell. 🌟 Livro encontrado em biblioteca. 🌟




Fazia muito tempo que queria ler algo do Orwell e não poderia ter começado de forma melhor. A edição que encontrei era da década de 70, o que só tornou tudo mais especial ainda. Leitura necessária pra tempos em que o mundo parece ter se esquecido do seu passado. 

Fera - Brie Spangler. 

Releitura de A Bela e a Fera que foca em temas atuais como gênero e sexualidade, mas que não pareceu saber aproveitar tudo o que tinha em mãos. Fraco. 

Nix - Nathan Hill. 

BOM DEMAIS. Longo, mas foi a melhor leitura que fiz em 2018, nos 45 do segundo tempo. Aborda temas necessários para o momento e te prende como só uma ficção muito bem estruturada é capaz. 

A Anatomia do Estado - Murray Rothbard e Paulo Polzonoff.

Livro de não ficção, bom para questionar algumas estruturas de poder.

Morte e Vida Severina - João Cabral de Melo Neto.

Nacional pedido pelo vestibular da UFPR. Interessante por sua proposta: poemas que contam uma história, na voz dos rios e dos transeuntes.

Várias Histórias - Machado de Assis. 

Também cobrado pelo vestibular da UFPR, com contos do Machado de Assis, sendo alguns legais e outros nem tanto. 

Manifesto Comunista - Karl Marx e Friedrich Engels. 

Todo mundo deveria ler uma vez na vida, certo? Certo!

A Casa de Vidro - Anna Fagundes Martino. 

Ebook nacional disponível de forma gratuita na Amazon, que me chamou atenção pela capa. Tinha potencial pelo enredo fantasioso, mas não foi bem aproveitado -- se perdeu ao não inserir melhor o próprio universo. 

Total de livros lidos: 44 (totalizando, com os 14 do primeiro semestre, 58 livros no ano).
Livros emprestados de bibliotecas: 10
Livros comprados: 05 (todos ebooks do Google Play Livros, pelo método Rewards).
Livros que ganhei: 02
Ebooks: 31

2018 foi o ano que mais li, o que me deixa extremamente feliz. Que 2019 seja tão bom quanto!


© Limonada.
Maira Gall