02 junho 2019

Só acontece comigo #79

Vocês sentiram falta dos posts sobre o transporte público? Se sim, é um dia de sorte, porque eu voltei.






Era um domingo, e até aquele dia, se me perguntassem o que pode dar errado em um domingo, eu diria que nada. Às 18 horas saí da casa do meu namorado, na cidade vizinha. O Estado de São Paulo é um lugar muito doido, porque quando eu falo cidade vizinha, sempre penso na tristeza que é não ter um carro: se eu tivesse um, levaria trinta minutos, no máximo, da minha casa a dele, mas como não tenho, perco duas horas em dois ônibus e um trem. Como já aceitei essa demora entre uma cidade e outra, nunca me dei o trabalho de decorar a linha de ônibus que preciso pegar na cidade dele; se ele me colocar em um foguete pra lua, eu só aceito. Ele me disse pra entrar no ônibus que estava vindo, e eu entrei.

Logo que sentei pensei em pegar meu celular para ir revisando a matéria da prova que teria naquela mesma semana, mas o motorista estava conversando muito alto com outro passageiro e de qualquer forma eu não conseguiria me concentrar. Então fiquei ali, olhando pro nada e prestando atenção na conversa -- conversa essa que era sobre o atual presidente e como o país é conservador, e não socialista como o lula molusco e seu partido tentaram fazer por tantos anos, e ainda bem que o atual presidente é quem é etc. etc. etc --, enquanto sentia que a qualquer momento eu iria entrar em combustão de tanta raiva. 

Papo vai, papo vem, o tal passageiro desceu e enfim o motorista se calou. Mesmo assim, não peguei o celular porque tenho estimado mais ou menos o tempo que passo dentro do ônibus até o trem, e pelas minhas contas o destino estava por perto. Ele realmente estava, mas veio em forma de uma piada, da mais sem graça. 

Conforme algumas pessoas desceram, um banco na janela ficou vago, e como eu estava desconfortável em um próximo do corredor, me mudei pra lá. Mais pessoas desceram, eu continuei lá. Sobraram eu e mais quatro pessoas, mas eu ainda esperava pelo trem.







Só que é como dizem: a vida é trem bala, irmão.

E COM CERTEZA VAI TE ACERTAR E TE ARRASTAR PELOS TRILHOS.

As quatro pessoas que ainda estavam no ônibus desceram. Elas me olharam. Eu olhei pra elas com meu melhor olhar de Marina Joyce pedindo help, mas elas não notaram. 

O motorista apagou as luzes do ônibus. Deu partida. Assobiou. 

Eu me caguei de forma não literal, mas foi quase.

Olhava pela janela e sabia que estava bem longe do trem, eu sequer sabia que lugar era aquele. No caminho só via casas e igrejas evangélicas, então comecei a pensar em qual delas eu poderia entrar, me fingir de enviada por Deus e pedir pelo amor D'ele pra que alguém me levasse pra casa porque eu estava perdida. Enquanto isso, pra minha sorte, o motorista minion começou a cantar louvores, DETALHE: ENQUANTO XINGAVA TODOS OS OUTROS MOTORISTAS.

Eu não sabia se eu ia morrer, ser sequestrada, se me jogava do ônibus em movimento, se levantava e tirava as mãos do motorista do volante, eu tava DESESPERADA PORQUE IA MORRER COM UM MOTORISTA SURTADO QUE XINGAVA E LOUVAVA À DEUS AO MESMO TEMPO.

Peguei meu celular, porque se fosse pra morrer eu pelo menos avisaria a polícia. 

Mais de 50 chamadas perdidas. Um SMS da criatura que eu namoro dizendo "PELO AMOR DE DEUS DESCE DESSE ÔNIBUS!".

Eu levantei. No meio da escuridão. O motorista amando à Deus e xingando a mãe do motorista ao lado. Me encostei na catraca.

-- Moço...
-- AI QUE SUSTO CARAMBA! -- me olha pelo retrovisor -- O QUE É QUE VOCÊ TÁ FAZENDO AQUI? NÃO ERA PRA VOCÊ ESTAR AQUI!
-- Eu vou pro trem...
-- ESSE ÔNIBUS NÃO VAI PRO TREM NÃO!

Meu celular toca, eu atendo:

-- Você me colocou no ônibus errado, né?
-- Aham.

***

O motorista me deixou em frente a um ponto -- que coincidentemente, é a faculdade do meu namorado --, e o dito cujo já estava me esperando ali por perto de carro com um conhecido. Me buscaram e me trouxeram pra casa sã e salva, mas com o psicológico permanentemente abalado. 

Algumas pessoas tem medo de palhaços, outras de pombas, eu tenho de motoristas de ônibus. 

6 comentários

  1. Eu juro que só estou rindo pq eu vi que tudo terminou bem, tanto que vc escreveu esse post hahaha. Mas estava agoniada quando vi que todos desceram e vc ficou hahahahahhahaha GEBTE COMO PODE? aii to rindo tanto

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  2. Confesso que segui lendo com o coração na mão porque geralmente o "só acontece comigo" tem um final que me diverte, mas MENINA DO CÉU, EU ESPEREI O PIOR!
    Me perdi recentemente numa dessas porque estava usando o Moovit e ele me indicou um onibus, só que eu não sabia que ele passava no mesmo ponto duas vezes e quando peguei, ele me levou pro outro lado da cidade - uma viagem de 15min levou 1h30. Só acontece comigo?
    Beixos Tatiii

    ResponderExcluir
  3. Eu morro de medo de pegar ônibus errado, e moro em uma cidade pequena... nem posso imaginar o medo que você sentiu..
    Gosto tanto do jeito que escreve que acabei rindo no final do texto. Ainda bem que ocorreu tudo bem! Beijos

    ResponderExcluir
  4. Socorro, eu na tua situação já tava chorando antes mesmo do motorista desligar as luzes! Pra evitar de dar ruim, eu uso alguns apps que avisam das paradas, aqui em Curitiba funciona o Maps do Google e um outro chamado Moovit. Não sei se algum deles funciona aí, mas se funcionar, é bom ter no celular pra não passar sufoco assim!

    Beijinhos.
    https://afoolishmistake.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu esse seu artigo, realmente é um dos melhores blog que estou visitando. Suas postagens são excelente! Parabéns!

    Já até salvei em meus favoritos ❤️..

    Meu Blog: Resultados das Loterias de Hoje

    ResponderExcluir
  6. meudeus mulherrrr que isso? pavor de pegar ônibus errado, pavor de descer num ponto que não conheço, pavor! sou aqueles passageiros chatos que lê o letreiro e ainda reforça "é tal ônibus né?". cada mudança de rota por algum caso específico é um mini infarto HAHAHHA mas isso que acontece contigo ia ser tipo MORTE MORRIDA HAHAHA

    ResponderExcluir

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3

© Limonada.
Maira Gall