Já usou seus superpoderes hoje?

Depois de assistir ao pilot de Shadowhunters (baseada na série de livros Os Instrumentos Mortais) e não gostar do que vi por motivos que não precisam vir à tona, pensei em fazer um post falando sobre o porque de a série não ter me agradado até entrar naquela rede social de opiniões não solicitadas e me deparar com a tirinha ao lado, que me causou estranhos momentos de reflexões.

Com minha lista de séries para assistir que só aumenta a cada dia, por que eu dedicaria minutos da minha existência exclusivamente para falar mal de uma série que não me agradou ao invés de compartilhar com vocês as que me agradam? Por que preferimos dar atenção para os pontos negativos das pessoas ao invés de destacar os positivos? E principalmente: por que é mais fácil ofender - muitas vezes despercebidamente - do que elogiar?

Foi quando me deparei com esse texto maravilhoso no blog da Tary, onde ela corajosamente conseguiu falar sobre uma insegurança enorme que já teve e sobre como comentários "despretensiosos" se tornam um monstro para quem os ouve. Pensei em todas as coisas que já ouvi algumas antes mesmo de ter dez anos, e em como elas me afetam até hoje (como por exemplo, a minha eterna dificuldade em sair na rua com minhas pernas de fora, que cheguei a comentar sobre nesse texto) e me vi com medo de um dia ter sido esse alguém, de em um momento de descuido ter dito algo que até hoje machuque quem ouviu. Lembrei então de uma matéria muito bonita que li no fim do ano passado e a procurei no Google, lembram da fotografa que parou pessoas só pra dizer que as achava bonitas e filmou suas reações? Parece tão pouco, mas quando vemos os sorrisos tímidos e as encolhidas de ombros percebemos o quanto isso faz sim a diferença e como podemos ser pessoas melhores apenas reparando nas coisas boas que a vida tem.


Como se não bastassem todos esses sinais, assistindo ao décimo terceiro episódio da segunda temporada de Gilmore Girls, vi o quanto eu gostaria de ser como Lorelai, que mesmo depois de ter ficado sozinha no parto de sua filha e de ter deixado o amor de sua vida partir por ainda - e talvez nunca - não ser o momento certo para eles ficarem juntos, relembrando todas as coisas ruins que passou e se colocando no lugar da madrasta de Rory preferiu apoia-la no parto da criança que foi justamente o fim do seu relacionamento com Chris, para que ela não soubesse como é estar sozinha quando se mais precisa. 

E foi assim que o que era para ser uma crítica toda errada e não solicitada a uma série que eu não gostei por minhas preferências pessoais se tornou um texto de incentivo e acima de tudo uma nota mental pessoal: cada vez que eu sentir vontade de falar mal de algo ou alguém, vou substituir por elogios, porque mesmo quando nós não gostamos das atitudes de uma pessoa ou daquela série que tinha tudo para ser maravilhosa ainda existem motivos para esbanjar elogios, mesmo que poucos se observamos bem nós sempre os encontramos. Vamos todos usar nossos superpoderes para elogiar as pessoas, as coisas, e os momentos? 

Comentários

  1. "Vamos todos usar nossos superpoderes para elogiar as pessoas, as coisas, e os momentos?" -> Acho digno <3

    E que vídeo lindo! Amei a menina do final... <3 (que medo da reação da menina em 1:40)

    ResponderExcluir
  2. Oi Tati, tudo bem?

    Gosto muito desse vídeo que você postou, choro todas as vezes e só não estou assistindo ele de novo porque chorar em público não é meu forte, hehe.

    Foi bom ler seu texto porque uma coisa que muito me incomoda o tanto que as pessoas reclamam/falam mal de coisas e pessoas quase que o tempo inteiro. Eu nunca entendi o que leva alguém a gastar tempo e energia fazendo comentários rudes sobre coisas que não gosta. Se você não gosta, tudo bem, é seu direito não amar ou achar tudo ao seu redor muito bonito, muito belo.

    Sou mais adepta do "se não tem algo bom a dizer, não diga nada". Tão melhor estar cercada de pessoas que usam as palavras pro bem, né?

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  3. Oiê Tati,

    Xá eu falar que é um fatão. A galera perde tempo com o que não deve, e os belos detalhezinhos escapam e puff. Gostei do que tu escreveu, principalmente do incentivo, e o vídeo é maravilhoso, não sei como eu reagiria, mas realmente uma palavra boa que tu ouça pode mudar o seu dia *.*

    Até mais!
    xoxo

    ResponderExcluir
  4. Ei Tati! Com certeza o tempo que o ser humano perde falando/pensando mal do outro podia ser totalmente gasto com coisas mais produtivas. Eu acho que é um exercício aprender a não ficar julgando e criticando o outro o tempo inteiro, ainda que mentalmente.
    É a melhor ideia do mundo, realmente, usar nossos super poderes para o que presta :)
    Texto lindo!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Tati, essa é uma coisa que vai e vem na minha cabeça. Sobre tudo e qualquer coisa é mais fácil falar sobre o que ta ruim, só enxergar o que ta péssimo na vida e só comentar os defeitos de alguém.
    Faz um tempo que estou só usando os super poderes com esse propósito e posso dizer que a vida melhorou 100%.
    O mundo inteiro seria outro se todos usassem um pouquinho desse super poder, né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. GENTE, POR QUE EU NAO TINHA VISTO ESSE VÍDEO ANTES? agora to aqui toda emocionada! com vontade de sair elogiando todo mundo hahahahah
    Amo sempe citar lorelai como exemplo de mulher. Gilmore girls marcou toda a minha vida <3

    Follow Cíntia

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tati. Faz um tempinho que eu estou meio que "estudando" o ódio, observando as pessoas e tal e percebi que odiar é realmente uma tendência que se espalha muito mais rápido que amar, por exemplo. Eu não sei exatamente o motivo. Eu comecei a cortar da minha vida gente que só fala mal de coisas como se odiasse o mundo inteiro. Passam uma negatividade com a qual eu não sei mais lidar. Agora, pra fazer minha parte, eu faço um esforço consciente para espalhar notícias positivas, falar do que eu realmente gosto, espalhar mensagens felizes etc Eu amo receber e compartilhar amor gratuito também.

    Eu já tinha visto esse vídeo dos elogios e fiquei muito bestinha com ele. É lindo! <3

    ResponderExcluir
  8. Ai Tati, que coisa mais linda <3

    Me lembrou um youtuber que eu descobri esses dias, eu via pelo youtube as miniaturas dos videos dele e os títulos eram coisas tipo "mulheres altas", "mulheres de cabelo cacheado" e similares e sempre pensava "nossa, quem esse macho escroto ta pensando que é fazendo esses videos de cagação de regra pras mina". ATÉ QUE um dia alguém compartilhou um vídeo dele no grupo da Joutjout e eu, curiosa como sempre, fui assistir e paguei minha língua belamente porque ele tava explicando sobre o que se tratavam os vídeos na verdade. Que ideia na verdade é só dizer coisas boas sobre seja lá o que estiver no título, falar tudo que ele acha lindo, porque tudo é lindo, um troço assim. Detesto dar biscoito pra homem (acho que dá pra notar ahhah) mas achei bem digno (e até gracinha) da parte dele, porque tem muita menina que da muita importância pra essas coisas (vide matérias nessas revistas teen, que aí sim são cagação) e se ele tem muitos views, que use esse superpoder pro bem né auahuahuah OLHA O TAMANHO DESSE PARÁGRAFO SÓ PRA FALAR QUE SEU TEXTO ME LEMBROU DISSO AINDA TA TODO CONFUSO PORQUE EU ACABEI DE ACORDAR DESCULPA AUHAUHAAUH

    Não sei porque a gente sente muita facilidade em odiar as coisas, sendo que gostar delas da muito menos trabalho né? O ser humano é uma coisa esquisita.

    Aff to apaixonada por esse teu post.

    Beijo!



    AAAH, e o youtuber que eu falei é o frederico elboni, acabei de notar que não tinha dito quem era lá no paragrafo imenso hahah

    ResponderExcluir
  9. É muito bom ver uma pessoa da sua idade com uma cabeça tão boa... Parabéns, viu? Sério, admiro muito!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3