Resenha: Eu sou Malala.


Sempre tive dificuldade pra conseguir ler biografias, a última tentativa havia sido há três anos, com a história de vida do cantor Renato Russo, que apesar de ser um livro muito interessante não foi o suficiente pra me fazer querer ler até o fim.

Quando Eu sou Malala foi lançado no Brasil fiquei muito animada, e a ideia de ser uma autobiografia contribuiu para a minha curiosidade, pois ler uma história tão forte contada por quem a viveu me pareceu mais atraente do que ler apenas relatos de conhecidos acompanhados de um resumo de quem foi a pessoa em questão.

Nascida em 1997 no vale do Swat (Paquistão), Malala Yousafzai foi a pessoa mais jovem a conquistar o prêmio Nobel da Paz em 2014, mas sua luta se iniciou bem antes de termos conhecimento. Em uma região onde mulheres precisam sair apenas acompanhadas de homens da própria família, e onde o índice de alfabetização está sempre em um nível baixo; Malala teve o que chamamos de sorte, por nascer em uma família onde o pai sempre lutou pelo direito da mulher a educação, por um país melhor e por direitos igualitários. Mesmo com uma carga de vida pesada, em vários momentos no livro vemos Malala como uma adolescente comum, com admiração por cantores, livros e até séries teens mundialmente famosas.


Mesmo com constantes ameaças pelo Talibã contra ela e seu pai, ambos não desistiram de abrir mão da luta que Ziauddin Yousafzai começou antes de conhecer Tor Pekai Yousafzai, mãe de Malala, levando o leitor a entender melhor o que ocorreu não só no dia em que Malala se tornou assunto mundial, mas até mesmo antes de seu nascimento.

Apesar de estar frequentemente divulgando seu documentário e seu livro, Malala faz questão de deixar claro que sua intenção principal é obter ajuda para que meninas e mulheres do mundo todo possam ter acesso a educação. Hoje, Malala pede ajuda mundial por meio de sua Organização Malala Fund. Você pode mostrar seu apoio usando #withMalala nas redes sociais.

"Nenhuma luta jamais logrará êxito sem que as mulheres participem lado a lado com os homens. Há duas forças no mundo: uma é a espada e a outra é a caneta. Há um terceira força, ainda mais poderosa: a das mulheres."

Classificação: 

*No blog, a classificação de livros, séries e filmes é feita de 0 a 5 cactos.

Comentários

  1. To louca pra ler esse livro, Tati! Eu comecei a ler biografias ano passado com o Mandela e agora to super interessada nesse livro da Malala, acho que deve ser interessantíssimo.

    E que bacana ver resenhas por aqui <3

    Beeijo
    Resenhando Sonhos

    ResponderExcluir
  2. Tati eu também adorei a leitura e quero comprar uma edição para minha estante. Pois peguei emprestado e devorei o livro de tão interessante a história. A pessoa até estranhou porque devolvi rápido o livro rs

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Recenetemente eu descobri que adoro autobiografias, mas ainda não li a da Malala. Admiro muito o trabalho dela e o seu Nobel da Paz foi altamente merecido. Que no mundo haja cada vez mais Malalas. ♥

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Não li a autobiografia, mas sei um pouco da história de Malala e ela é inspiradora. Uma verdadeira guerreira, cujo Nobel da Paz foi merecido

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ResponderExcluir
  5. Tenho interesse em ler esse livro, pois só conheço sobre a Malala pelos jornais. Acho legal ver pelos olhos dela :)
    Beijos! =**

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3