Slow down, you crazy child.


Aniversários nunca foram meu ponto forte. Muitas pessoas, muitos sorrisos, muitas incertezas que passam completamente despercebidas por quem me abraça e deseja felicidades. Apesar disso, sempre me esforcei bastante para no dia 11 de Maio conseguir visualizar tudo o que a vida já foi para mim, e tudo que ainda pode ser.

Esse ano as coisas não foram tão diferentes, não consegui comemorar com festas e nem fiz tanta questão de pressionar alguém a lembrar da data, mas foi estranho perceber que justo o mês que falei tão mal muito antes de chegar (apenas por não aceitar que faria 20 anos) decidiu ser realmente o que esperava dele.

Ainda não chegou ao fim, mas até agora foram 29 dias difíceis, como nunca antes. Dias em que me senti sozinha, sem saber se devia ou não pedir ajuda, e se o fizesse, para quem pediria, porque a gente lê muito sobre vulnerabilidade e fala sobre ela pela internet, mas na prática, quando você vê que não dá mais pra segurar o mundo nas costas e que precisa de um tempo pra si é muito mais complicado. 

Não consigo ainda saber com exatidão tudo o que esse mês de Maio vai trazer pra minha vida, mas também não conseguiria deixá-lo passar em branco por aqui. São dias longos, passos rastejantes e uma vontade imensa de ir contra tudo o que tenta me puxar para o lado oposto, e mesmo assim, são meus 20 anos, não tão bons, um pouco mais tristes do que eu esperava, mas fortalecedores. 


Comentários

  1. Não brigue com a sua idade, Tati! Por mais que as vezes seja desesperador ficar mais velho, é uma maturidade que vale muito à pena, sabe? Se desenvolver dói. Crescer dói. Infelizmente o mundo não é um algodão doce cor de rosa gigante. Os planos dão errado e as vezes saem completamente do nosso controle, mas isso é a vida. Daqui um ano você vai olhar pra trás e pensar com carinho no tipo de pessoa que você se tornou depois de passar por um período tão sofrido.
    Vai por mim! Tenha um pouco de fé.

    Vienna waits for you ;)

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Fazer anos deixou de ser simbólico pra mim porque nada nunca mudava, até que eu tive um insight meio louco nesse último fevereiro. Acho bom a gente refletir sobre o que foi nossa vida até esse ponto e como ela pode ser daqui pra frente, porque precisamos olhar pra nós mesmas pra fazer isso.
    Se te consola? Meu maio também foi uma merda em muitos sentidos, então não foi nenhuma maldição pessoal nem nada. Nosso mundo anda dando voltas loucas~
    Força na peruca e vamos em frente, Tati <3 espero que seu dia seja mais gostosinho do que os demais!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3