21 novembro 2018

O Cirurgião | Rata de Biblioteca.


Pensar em literatura policial escrita por uma mulher é primordialmente lembrar de Agatha Christie. No entanto, se por definição Thriller policial é todo livro cujo personagem principal desvenda crimes, Tess Gerritsen pode muito bem ser um dos principais nomes femininos relacionados à categoria. 

O Cirurgião é o primeiro livro da série de Thriller policiais cujos crimes são solucionados pela detetive Jane Rizzoli. O livro que inicia seus casos é centrado na médica Catherine Cordell, mulher que apesar de bem sucedida, vive dividida apenas entre seu apartamento e o hospital, sem manter qualquer tipo de laços afetivos com outras pessoas, por uma razão que só ao longo dos capítulos é esclarecida. Na mesma cidade em que vive a personagem, duas mulheres são assassinadas por um mesmo modus operandi, levando Rizzoli à busca pelo assassino em comum aos casos -- que com o passar do tempo não se restringem apenas a esses dois.

Se por um lado a médica Cordell possui prestígio em seu local de trabalho, na Delegacia de Boston a detetive Jane Rizzoli sobrevive em um ambiente hostil, em que o trabalho feminino é constantemente diminuído em meio a tantos homens em diferentes posições. O livro é fiel ao mostrar o impacto pessoal que tal situação causa em Jane, além de torná-la uma personagem com mais nuances ao representar a dificuldade vivida por ela com sua família, que não apoia sua profissão "masculina" e continuamente questiona o motivo de sua opção. Por tal motivo, ao longo do caso, o foco narrativo que leva ao solucionamento dos crimes é mais voltado ao detetive Thomas Moore, parceiro de Jane e um dos poucos homens dentro da delegacia que a respeita e incentiva, sendo este o ponto de desenvolvimento para a carreira da personagem ao longo da série.

Em um primeiro contato com a obra seu nome parece ter relação com a profissão de Catherine Cordell, no entanto, ao longo do suspense as impressões tornam-se outras: as vítimas dos repetidos assassinatos de localidade próxima são operadas cirurgicamente antes de suas mortes. Seria Catherine a responsável pelos assassinatos ou há algo mais envolvido? Só mesmo lendo para saber.

A trama além de envolvente é imprevisível, sendo minha única reclamação relacionada à editora Saraiva, responsável por essa edição de bolso que encontrei na biblioteca, que apesar de possuir dois livros em um no estilo vira-vira (sendo o outro "O Pecador", terceiro da série de Rizzoli), deixa a desejar com relação à gramática e um melhor cuidado com a capa da obra.

*:・゚✧*:・゚✧ POR QUE LER UM suspense policial? *:・゚✧*:・゚✧


Se você tem estômago para lidar com descrições de assassinatos, os suspenses policiais são ótimas pedidas para quem procura uma leitura interessante o suficiente para ser feita de maneira rápida. Além disso, no caso da autora Tess Gerritsen, sua anterior experiência profissional faz da sua escrita ainda mais marcante: Tess abandonou a área da medicina para seguir sua paixão pelos livros. 

*:・゚✧*:・゚✧ POR QUE NÃO LER "O Cirurgião"? *:・゚✧*:・゚✧


Não vejo motivos para não lê-lo. Acredito que as únicas razões aceitáveis seriam não gostar de Thriller ou não estar com disponibilidade para continuar a série.

  • Pra quem é das séries: a série de livros virou série de TV! A responsável pela adaptação "Rizzoli & Isles" foi a TNT, deixando-a no ar ao longo de sete temporadas (2010-2016). A personagem Isles não aparece no livro O Cirurgião, mas dá suas caras em outras obras da série como médica legista.
  • Pra quem quer ler mais: apesar dessa edição que usei ser da Saraiva, O Cirurgião é publicado no Brasil pela Record, assim como os outros livros da série, sendo eles, em ordem: O Aprendiz, O Pecador, Dublê de Corpo, Desaparecidas, O Clube Mefisto e Relíquias.

Em um quote:

“Moore colocou o artigo de lado e ficou sentado ali, pensando no quanto primeiras impressões podiam ser equivocadas. Como a dor podia tão facilmente ser mascarada por um sorriso, por um queixo empinado.”
                                                      




3 comentários

  1. Amo suspense policial e fico triste porque li pouco do gênero esse ano. Além da Agatha Christie, também curto Anne Holt e sempre que falou de romance policial lembro das duas.Não conhecia este livro, mas já gostei da premissa e fiquei curiosa para desvendar o mistério.
    Dica mais que anotada

    ResponderExcluir
  2. Guria eu adoro esse tipo de livro! Tu já leu "E não obrou nenhum" da Agatha Cristie!? Vale a pena a leitura taambém! E "Boneco de Neve"!
    Adorei teu blog! Espero sua visitinha no meu! Já estou seguindo teu cantinho!

    ResponderExcluir
  3. Gente eu amo tudo que tem relação com mistério e coisa policial junto. Quando eu era criança meu sonho era trabalhar no CSI hahaha já dá para perceber que eu tenho um estômago forte para descrição de crimes.

    Blog Covil Dourado | Facebook

    ResponderExcluir

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3

© Limonada.
Maira Gall