Escrevi um troço

17 setembro 2021

Dia desses um amigo mandou, em um grupo no WhatsApp, uma foto em que estávamos reunidos, lá no ano de 2017. Nela eu tenho 10 kg a menos, um cabelo 50% mais comprido (além de alisado pela chapinha), nenhuma matricula realizada em uma universidade, e provavelmente uma mente mais saudável, porque é exatamente o último ano que tenho a lembrança de não estar o tempo todo com muita raiva de tudo, de todos, e extremamente triste, sem conseguir entender que ficar tão triste o tempo todo poderia ser um indicativo de que algo de errado não estava muito certo. 


Depois de ver a tal foto entrei num looping de nostalgia. Das roupas que eu gostava de vestir (e de como eu me importava bem menos com a possibilidade de alguém me achar estranha por estar com tal roupa), e de como hoje em dia, pra mim, é mil vezes mais fácil só vestir camiseta e calça jeans, não importa qual seja o objetivo da ocasião; das músicas que eu ouvia; das séries que assistia; de como eu amava andar pela cidade e fotografá-la mesmo que com enquadramentos tortos; de como o ar parecia mais leve para ser respirado sem uma máscara cobrindo metade do meu rosto.


Não sei dizer muito bem se em algum momento parei de ser eu mesma, se estou no período em que mudei de gostos e ainda não encontrei exatamente aquele que mais me representa no agora, mas sei que pensar em quatro anos atrás e no presente me deixou surpresa. Jamais imaginei estar onde estou, como estou, e da forma que sou. O primeiro semestre de 2021 serviu muito como meu processo de cura, já que foi quando eu finalmente entendi que todos aqueles sentimentos em mim, sempre tão negativos, não estavam me fazendo bem e realmente pedi ajuda. Porém, ainda assim, sinto que não o atravessei completamente. Estou melhor, mas ainda não sei bem quem sou e do que gosto nesse novo encontro do eu comigo mesma. 

10 comentários

  1. O processo de cura é quando começamos a perceber que "algo de errado não esta muito certo...". Parece meio óbvio né? Mais pedir ajuda é necessário para perceber algumas coisas bastante óbvias... Porém, necessárias para ir em frente.

    ResponderExcluir
  2. Em 2017 eu já estava na faculdade e estava doida para trancar. Agora com esse karma concluído parece que estou um pouco perdida também, fazendo várias coisinhas e não me encontrando em nada.
    Os 20 e poucos é um saco né? Queria pular pra parte que estou bem sucedida curtindo férias nas Maldivas.

    ResponderExcluir
  3. por que entrar na faculdade sempre faz um rebuliço na gente e não somente na vida? seria tão mais simples haha. me identifiquei muito com seus pensamentos. acho que a vida é um pouco disso mesmo. se perder e se encontrar com a gente mesmo durante o trajeto. espero que fique bem!! :)

    ResponderExcluir
  4. As vezes eu gosto de ficar olhando fotos antigas para ver as muitas mudanças que ocorreram na minha vida. Em 2017 eu tava começando a segunda faculdade...

    ResponderExcluir
  5. As vezes é agridoce olhar fotos antigas e pensar na vida que levavamos há anos atrás. Por um lado tenho boas memórias, por outro penso "meu deeus, zero saudade dessa época". É normal a gente se perder do conhecido conforme ~adultecemos~, tudo muda. Feliz que conseguiu pedir ajudar e dar o primeiro passo. Fique bem!

    ResponderExcluir
  6. Eu sempre entro em conflito quando vejo alguma foto "antiga" minha haha, pois não me reconheço mais. Está certo que sinto falta de algumas situações, mas hoje sou mais feliz rs (eu acho hahaha)

    ResponderExcluir
  7. É estranho olhar nossas fotos de antes da faculdade estando na faculdade, e também é estranho ver nossas fotos do começo da faculdade quando estamos no final dela. Senhor, a gente muda tanto em tão pouco tempo! Eu não sabia como o ser humano é capaz de crescer assim, e fico imensamente feliz por ser dessa forma! E que bom que você percebeu que precisava de ajuda e foi atrás. ♥

    Beijinhos!
    Wu Ye

    ResponderExcluir
  8. Nossa eu me sinto muito assim também Tati! Me sinto completamente perdida. Sem saber quem eu sou. Mas acho que eu nunca soube. Acho que agora, pelo menos eu sei o que é importante pra mim. Ou o que eu prefiro priorizar. E acho que isso é um começo rs

    ResponderExcluir
  9. Oi, me sinto exatamente assim perdida. Aos poucos estou tentando me encontra.
    https://versosquecolori.blogspot.com/?m=1

    ResponderExcluir
  10. Oi Tati <3
    Eu entendo um pouco o sentimento, mas acho que foi motivado por um processo diferente (de luto, no caso) e esse encontro nostálgico foi mais um reencontro de coisas que deixei de lado e que ainda fazem sentido pra mim. Seja lá qual foi a ajuda que você encontrou, espero que te traga calmaria e resiliência pra seguir viagem e se reencontrar de alguma forma no futuro, ainda que em uma versão totalmente diferente ♥

    Beijinhos!

    ResponderExcluir

-Spam não são publicados.
-Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
-Obrigada por visitar <3